segunda-feira , 22 janeiro 2018
Capa / /
22/01/2018
LEPRA

 

CONCURSO

1ª Semana Estadual

de Hansenologia

ALMT promove concurso de trabalhos

científicos sobre hanseníase

hanse

Assessoria

A Assembleia Legislativa deve promover, a partir do próximo ano, concurso de trabalhos científicos elaborados com o tema de combate à hanseníase em Mato Grosso.

A proposta, elaborada pelo presidente da Assembleia Legislativa, Guilherme Maluf (PSDB), e pelo deputado Leonardo Albuquerque (PDT), foi anunciada na manhã desta segunda-feira (19), durante a abertura do 1º Seminário Estadual de Hansenologia, que será realizado até amanhã (20), no Teatro do Cerrado Zulmira Canavarros. Agora, o projeto será levado ao plenário para discussão com os demais deputados.

“Essa doença infectocontagiosa é milenar e, infelizmente, no nosso estado, tem índices altíssimos. Para combatê-la, temos que trabalhar políticas públicas e a contribuição da Assembleia Legislativa é promover esse concurso direcionado para premiar trabalhos científicos na área da hansenologia em Mato Grosso, para subsidiar políticas públicas. Ou seja, juntamente com as universidades e especialistas, vamos incentivar a pesquisa”, afirmou Guilherme Maluf.

De acordo com Maluf, que é médico de formação, estudos apontam Mato Grosso como o estado com o maior número de pacientes com hanseníase e que procurou trabalhar para a implantação do centro específico em referência de hansenologia, mas que não aconteceu devido ao governo federal.

“Por mais que o governo federal tenha políticas públicas em muitas localidades, deveria colaborar mais com Mato Grosso. Mas, temos que somar esforços, principalmente a União, juntamente com o Governo do Estado, Assembleia Legislativa e prefeituras para fazer uma força-tarefa e combater esse mal, essa doença que tem cura e é possível vencê-la”, disse Maluf.

Doença – A hanseníase é uma das doenças mais antigas da humanidade. Provocada pela bactéria Mycobacterium leprae, também conhecida como Hansen, agride principalmente os nervos e a pele, podendo, em estágios mais graves, resultar em deformações. A lepra, como era conhecida, consome, resseca, agride e penetra na pele, deforma nervos, músculos e ossos.

Segundo o Ministério da Saúde, o país registrou mais de 31 mil novos casos da doença em 2014. Mato Grosso registra a maior prevalência da doença, com 10,19 casos por 10 mil habitantes. A média no Brasil é de 1,27 por 10 mil habitantes.

“Por esta razão, torna-se necessária a realização de ações com a finalidade de avaliar estratégias desenvolvidas para o enfrentamento da hanseníase e apresentar a atual situação epidemiológica da doença em Mato Grosso”, explicou o deputado Leonardo Albuquerque.

O vice-governador Carlos Fávaro (PSD) participou do evento e lembrou o compromisso do governador Pedro Taques (PSDB) em promover políticas públicas para mudar esses índices.

“Mato Grosso tem índices de desenvolvimento econômico que nos orgulham muito, enquanto hoje o Brasil tem Produto Interno Bruto (PIB) negativo em 2%, nosso estado apresenta números positivos em 2,8%. Agora, nos entristece e envergonha índices de hanseníase tão altos, por isso o compromisso do governo Pedro Taques é de reverter esse índice. Mesmo não sendo da área, como servidor público, vou me dedicar para que Mato Grosso tenha o Centro de Especialização para tratar de hanseníase”, disse.

O Secretário de Estado de Saúde (SES), Eduardo Bermudez, parabenizou a Assembleia Legislativa por discutir a hanseníase. “A SES tem lançado programa por meio do Governo do Estado na busca da erradicação e diminuição dos números de hanseníase e tuberculose, e estabelecer estrutura que a secretaria pode desenvolver em ação conjunta com os municípios na atenção básica”, alertou.

Comentários

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Publicidade