segunda-feira , 22 janeiro 2018
Capa / /
22/01/2018
PSICOLOGIA

TRANSTORNO MENTAL

 

Deputado Dr. Leonardo

aborda temática do Suicídio

 (Crédito: Marcos Lopes)
Deputado aplica conhecimento médico pela política
Foto Marcos Lopes
Assessoria
O deputado estadual, Dr. Leonardo (PDT) apresentou um Projeto de Lei que institui o Plano Estadual de Combate ao Suicídio. O Plano tem por objetivo identificar os possíveis sintomas e tratar o transtorno mental ou psicológico que pode incluir depressão, transtorno bipolar, esquizofrenia, alcoolismo e abuso de drogas. Vale destacar que hoje (10/09) é o Dia Mundial da Prevenção ao Suicídio. O projeto prevê parceria da Secretaria de Estado de Saúde, com as Secretarias Municipais, instituições acadêmicas, organizações da sociedade civil, organismos governamentais e os não governamentais, para o desenvolvimento do Plano Estadual de Prevenção ao Suicídio.

O Plano deverá oferecer acompanhamento aos indivíduos que apresentarem o perfil, minimizando a evolução dos quadros que podem chegar ao suicídio. O projeto prevê ainda, a criação de um sistema de coleta de dados integrado a SES, a fim de identificar e monitorar possíveis casos, para avaliação e cuidado.

“O Estado tem papel relevante para o tratamento desse transtorno, identificando possíveis sintomas, acompanhando e oferecendo possibilidades de recuperação aos que necessitam. O suicídio é um ato complexo cuja causa mais comum é um transtorno mental ou psicológico”, explicou.

Relatório da Organização Mundial de Saúde (OMS) aponta que 804 mil pessoas cometem suicídio todos os anos – taxa de 11,4 mortes para cada grupo de 100 mil habitantes, sendo que 75% dos casos envolvem pessoas de países onde a renda é considerada baixa ou média. “Dificuldades financeiras ou emocionais desempenham um fator significativo para evolução do quadro”, destacou.

Infelizmente, no Brasil o elevado número de suicídios é alarmante e o coloca entre os dez países com as taxas mais elevadas da morte auto infligida. Em 2012, foram registradas 11.821 mortes, sendo 9.198 homens e 2.623 mulheres.

Em Cuiabá, a Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) registrou 19 casos, sendo nove vítimas somente no mês de abril, deste ano. Do total, oito pessoas sofriam de depressão. No mesmo período do ano passado, 12 pessoas suicidaram e sete delas tiveram a depressão apontada como causa.

Os dados apontam para um crescimento de 58% dos casos nos primeiros quatro meses deste ano. Durante todo o ano de 2014, foram 39 casos e 30 vítimas eram depressivas. As outras causas são relacionadas ao uso de drogas, álcool e passional. “Esse número pode ser maior se levarmos em consideração os casos não registrados”, disse.

Segundo o deputado, o suicídio é um problema de saúde pública e a prevenção pode ser possível, desde que se propicie o desenvolvimento de políticas públicas, que também envolvem diversos profissionais como psicólogos, médicos, enfermeiros, fisioterapeutas, terapeutas ocupacionais, assistentes sociais, professores, jornalistas, advogados, policiais civis e militares, líderes religiosos e comunitários, entidades governamentais e não governamentais, entre outros.

Para debater o assunto, Dr. Leonardo convocou uma audiência pública, na próxima segunda-feira (14/09), no auditório Milton Figueiredo, na Assembleia Legislativa, a partir das 18h30. A Associação Mato-grossense de Psiquiatria, o Centro de Valorização da Vida (CVV), Conselho Regional de Psicologia, Assistência Social, Conselho Regional de Fisioterapia e Terapia Ocupacional, entre outras entidades, órgãos e conselhos foram convidados.

Comentários

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Publicidade