Cáceres em novos tempos… em tempos de Paz!

0
442

O que era sentimento de rancor, mágoa, inimizade – hoje é sorriso

POR CELSO ANTUNES DRT 2074/MT

CAMINHAR… VIVER NO MESMO BARCO NÃO CABE A BRIGA… UMA HORA O NAUFRÁGIO ACONTECE E TODOS VÃO PARA O MESMO LUGAR DE DOR – ARQUIVOS

ABíblia é uma coleção de 66 livros em que seus respectivos autores foram “inspirados” por Deus. Ou seja, transcreveram o que Deus disse a eles. Numa dessas instruções, no Livro de Salmos 133 está registrado “…quão bom e quão suave é que os irmãos vivam em união.” Assim, Deus “ordena Bênçãos!”

E Cáceres está precisando, e, como está! Há muito vem perdendo, deixando escapar entre os dedos importantes Bênçãos. São promessas, acordos não cumpridos, entre tantos sonhos não concretizados, justamente por falta do fenômeno “União”.

Contudo, para esses tempos a coisa dá vistas de que vai ser diferente, pautada exatamente na linha da união. Afinal, passa da hora de unir forças em prol de Cáceres e Região.

Vejamos cenas nas fotos. Isso na contagem de 10 anos atrás – quem diria ao contrário. Encontros, abraços – simplesmente inimagináveis.

Mas, o tempo dita as regras e nota-se o começo de nova era: de novos tempos, de tempos de paz – da maneira que o Criador gosta, e espera esse tipo de comportamento, seus filhos unidos.

Assim, num propósito de obediência dá-se início de um ano diferente, sem brigas, sem rivalidades em todos os sentidos, no caso, muito menos no campo político.

Nos áureos tempos dos programas de TV, ficavam os ex-vereadores e apresentadores Da Silva e Café no Bule, rivais ferrenhos, trocando farpas, atirando pedras, porém, sentam-se na mesma mesa. Esse round dava um tititi na city.

A paz, ainda, abraça o ex-Prefeito Túlio Fontes e Edmilson Campos Café no Bule; agora, fechando com chave de ouro, inseriu Pedro Henry e Túlio Fontes. Se bem que todos nós desejamos cicatrizar as grandes feridas. O ser humano por mais que relute, um dia vai desejar fortemente o fechamento da sua ferida. O amadurecimento, a experiência, a idade ensina que é necessário fechar a ferida, estancar a gangrena, acabar com a fedentina do rancor, da inimizade.

Diante disso, o Pai se alegra, sorri abundantemente e, claro, envia chuvas de Bênçãos e o povo se esbanja de regozijo.

Por fim, é preciso, é obrigatório perdoar ao irmão… Aleluias!

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui