ECONOMIA

0
5

Hidrovia Paraguai-Paraná

em fase de estudos

CHATAS

Celso Antunes

Na data de 11 do corrente mês, nas dependências da Câmara de Vereadores, precisamente no gabinete da presidência, a partir das 08h aconteceu importante reunião junto ao Superintendente da AHIPAR – Administração da Hidrovia Paraguai-Paraná, Dr. Marcos de Souza.

Numa iniciativa do Vereador Marcinho Lacerda, que protocolou Convite aos pares da Casa de Lei de modo a tratar de assuntos pertinentes em relação a Hidrovia Paraguai-Paraná.

Os vereadores participantes da reunião: Presidente Alvacir Alencar/PP, Professor Domingos/PSC e o autor Marcinho Lacerda/PMDB.

foto: celso antunes
Reunião junto ao Superintendente da AHIPAR - Administração da Hidrovia Paraguai-Paraná, Dr. Marcos de Souza
Reunião junto ao Superintendente da AHIPAR – Administração da Hidrovia Paraguai-Paraná, Dr. Marcos de Souza

Na ocasião ouviram o Superintendente Marcos que, por sinal, bastante conhecedor do assunto, passa a explicar o processo de implantação da Hidrovia em Cáceres.

Segundo Marcinho, o Superintendente Marcos atua em Corumbá ligado a Docas Mar que cuida especificamente das Hidrovias do Brasil. ‘Nós estamos em boas mãos. Marcos se empenha ao máximo para bem diagnosticar nossa Hidrovia como outras no Brasil, e, apresentar os relatórios para em definitivo a implantação da Hidrovia Paraguai-Paraná’, assegurou.

O Superintendente Marcos esteve em Cáceres para, também, analisar, sobremaneira conhecer os andamentos do EVTA – Estudos de Viabilidade Técnica Ambiental e Econômica de instalação da Hidrovia, mesmo ‘porque os estudos são detalhados ao extremo, afinal, não se instala uma Hidrovia para perder e sim para ganhar economicamente falando, esse é o objetivo macro de todo trabalho envolvendo a Hidrovia’, destacou Lacerda.

O vereador Marcinho Lacerda vai mais além e assegura que Cáceres pode começar a viver mudanças. Ele disse que a Universidade Federal de Paraná trabalha no relatório de Estudos de Viabilidade Técnica Ambiental e Econômica – EVTA -; a previsão de Cáceres receber o diagnóstico, logo em maio de 2015.
Esse documento traz toda informação possível quanto ao impacto ambiental e econômico.

O autor da iniciativa de se reunir com a AHIPAR, Marcinho Lacerda, fala que o município de Cáceres não pode se distanciar, pelo contrário deve ir ao encontro daqueles que detêm os meios de instalar nossa Hidrovia. ‘O motivo da reunião é criar proximidade da AHIPAR ao município. Se queremos precisa ir atrás, buscar entendimento, parcerias como um todo’, explica.

Finalizando, vereador Marcinho Lacerda informa que haverá sistemático acompanhamento dos estudos técnicos vez que trata-se do anseio de Cáceres. A hidrovia significa escoamento de safra das grandes lavouras de Mato Grosso, ainda melhoria de rodovias, grandes investimentos industriais, geração de empregos, enfim, com a implantação da Hidrovia Cáceres e Região ganha muito em todos os sentidos em âmbito econômico, sempre atento à preservação ambiental.

 

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui