Movimentação Turística, hoje em Cáceres

0
165

 “O PANTANAL É AQUI”

 

casa historica

[tabs type=”horizontal”][tabs_head][tab_title][/tab_title][/tabs_head][tab]Caminhar pelo centro histórico de Cáceres também é reviver o passado, seus casarios tombados pelo IPHAN – Instituto do Patrimônio Histórico Artístico Nacional. As fachadas imponentes retratam a beleza da arquitetura em Art déco – movimento artístico internacional que começa na Europa em 1910, conhece o seu apogeu nos anos de 1920 e 1930.[/tab][/tabs]

 

 

Programação FAMPRES

– Roteiro de Visitação Turística

 

Dia 18/03/2016

 

> 08h00min – Chegada a Cáceres

Café da manhã na Fazenda Histórica Jacobina.

> 09h30min – Visitação na Dolina da Agua Milagrosa

> 14h00minhs – Visitação na Sicmatur/Centro Histórico.

> 15h30min – Visitação em embarcações e Tour pelo Rio Paraguai.

> 17h00min – Espaço Viana Costa.

“Chá co/bolo” e Programações artísticas APAC

> 20h00min – Restaurante Carro de Boi.

Jantar

> 22h00min – Repouso

Hotéis Village – Aki Hotel e Pousada Eco Sinimbu.

 

Dia 19/03/2016

> 05h00min

Café da Manha

> 05h30min

Visitação na Estrada Transpantanal.

> 12h00min

Almoço Faz. São Sebastião

> 14h00min

Retorno a Cáceres e a Cuiabá.

 PONTOS TURÍSTICOS

Fazenda Jacobina:

 Localizada as margens da BR 070, a histórica Fazenda Jacobina data de 1769, estabelecida pelo português Leonardo Soares de Sousa, tornou-se ao longo dos anos importante produtora de charque e açúcar, abastecendo os grandes centros bem como exportando para o continente europeu.

Utilizando mão de obra escrava, por volta de 1827 a Fazenda Jacobina atingia o ápice, seu rebanho bovino tinha cerca de 60 mil cabeças e possuía 200 escravos, sistema que entra em declínio com advento da abolição da escravatura em 1888.

Tombada pelo IPHAN –Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, a Fazenda Jacobina encanta a todos, sua sede imponente remete a reflexão daqueles que a visitam, séculos de existência que ainda traz a memória dos tempos simples e não menos difíceis. Visitar a Fazenda Jacobina é imaginar um passado de luta e prosperidade.

 

Dolina Água Milagrosa:

Distante a 18 Km de Cáceres, 12Km de asfalto, MT341, sentido Cáceres a Barra do Bugres, encravada no cerrado mato-grossense, a Dolina encanta seus visitantes pelos seus mistérios.

Segundo contam alguns estudiosos, os escravos fugitivos se escondiam nessa lagoa, muitos chegavam em estado de saúde bastante comprometido e que após banhar-se na águas –azuis ou verdes dependendo da época- curavam suas enfermidades. Outros afirmam que um meteoro despencou do espaço e ao colidir com a terra formou uma grande depressão que até hoje, mergulhadores profissionais não atingiram o fundo da lagoa.

O fato é que a Dolina Água Milagrosa tem uma atmosfera deslumbrante e única. É bem verdade que o acesso é difícil, mas talvez seja por isso que o local ainda carrega tantos mistérios e beleza.

 

Centro Histórico:

Caminhar pelo centro histórico de Cáceres também é reviver o passado, seus casarios tombados pelo IPHAN – Instituto do Patrimônio Histórico Artístico Nacional, revelam a época de um comércio forte e próspero. As fachadas imponentes retratam a beleza da arquitetura em Art déco – movimento artístico internacional que começa na Europa em 1910, conhece o seu apogeu nos anos de 1920 e 1930.

Seu povo hospitaleiro, com jeito simples de viver, ruas estreitas, as margens do Rio Paraguai formam um cenário que há 237 anos encanta aqueles que visitam o destino.

Rio Paraguai:

O Rio Paraguai é um rio da América do Sul que banha quatro países. Nasce no município de Alto Paraguai no estado brasileiro do Mato Grosso e banha também o estado do Mato Grosso do Sul, sendo afluente do rio Paraná. O rio, ao contrário da percepção popular comum, não define a fronteira Brasil-Bolívia, mas sim, parte da fronteira Brasil-Paraguai.

Em seu percurso inicial (cerca de 50 km) tem o nome de rio Paraguaisinho, mas logo passa a ser conhecido como rio Paraguai, percorrendo um trajeto de cerca de 2621 km até desaguar no rio Paraná.

Dentro do território brasileiro, o rio Paraguai percorre cerca de 1693 km desde as nascentes até a desembocadura do rio Apa. A navegabilidade do rio em terras do Brasil dá-se satisfatoriamente a partir de Cáceres (passando por Corumbá) até a foz do rio Apa. Seu trajeto tem extensão total de cerca de 1323 km.

Seu trajeto no centro do Pantanal é tão sinuoso, e como consequência a sua velocidade é tão lenta, que uma canoa solta em Cáceres (MT) demoraria cerca de seis meses[1] para chegar ao Oceano Atlântico.

O rio Paraguai é o principal rio da Bacia do rio Paraguai, uma das doze macrobacias hidrográficas do Brasil.

APAC- Associação Pantaneira dos

Artesãos de Cáceres

Fundada em 2006 por um grupo de artesãos locais na tentativa de mostrar os trabalhos individuais e coletivos desenvolvidos nesta cidade, chegando a ter 70 associados. Durante seu funcionamento já participou de vários projetos dentro e fora do município, com parceria do SEBRAE/MT, SICME, UNEMAT e Secretaria de Cultura e Secretaria de Meio Ambiente locais.

Projeto Vila Maria – parceria com SEBRAE

Abertura da Temporada de Pesca

Participação anual no FIPe

Realização da UNEARTES, em parceria com a UNEMAT

Participação de eventos e feiras regionais

Participação em feiras nacionais

Presença do presidente Antônio Carlos Viana da Costa, na Feira Internacional de Arequipa.

Realiza reuniões periódicas nas casa dos associados, pois até a presente data não tem uma sede própria, entretanto desde seu inicio participou da organização de projeto para a construção da Casa do Artesão. Projeto este que foi formatado, aprovado e financiado pelo Ministério do Turismo, mas que ainda se encontra em período de finalização.

Hoje está em período de recuperação, participando das feiras semanais nas praças locais, e tentando se fortalecer juntamente com o turismo criando espaço para divulgação e comercialização de seus produtos e está sendo presidida por Suely Tocantins.

Estrada Transpantanal

A nova Estrada Transpantanal – Cáceres/MT é um verdadeiro paraíso escondido. Com potencial para tornar-se uma segunda Transpantaneira, visitada por turistas de todo o mundo que buscam contato com a fauna e flora do Pantanal, a nova rota fica próxima da fronteira entre o Brasil e a Bolívia, no Mato Grosso.

Em apenas alguns minutos circulando por esta estrada é possível ver lobinhos, tamanduás e cervos em meio a uma exuberante vegetação de cerrado alto.

O desafio dessa região pantaneira é similar ao de muitas áreas naturais do Brasil: implementar o turismo de natureza para gerar desenvolvimento sócio econômico e evitar que o turismo torne-se uma atividade com impactos ambientais.

 

Restaurante Carro de Boi.

O Carro de Boi Restaurante é um espaço situado em local privilegiado de Cáceres, próximo ao rio. O Restaurante foi criado com o intuito de proporcionar um ambiente onde possa encontrar os amigos, combinar reuniões com a sua família, organizar aniversários e eventos empresariais. Tudo isso num mesmo ambiente descontraído, rustico, mas sem perder o requinte, o Carro de Boi possui charme e qualidade nos serviços, pois ele procura atender as exigências de seu público, proporcionando um atendimento personalizado.

O Restaurante e Choperia oferece música de qualidade para que você tenha uma noite agradável.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui