TRÂNSITO: Aprovado Projeto de Acessibilidade

1
105
Acesso difícil ao cadeirante e ao ajudador…

A Vereadora Mazéh pede ao Executivo Municipal que faça construção de rampa de acesso no
bordo das faixas de pedestres, a fim de promover acessibilidade.


Conforme a Vereadora, a Proposição visa unicamente “tornar fácil o acesso de todas as pessoas a todos os lugares, de
forma segura e autônoma, ou seja, cada cidadão pode desfrutar do seu direito de liberdade
de locomoção sozinho, sem precisar pedir ajuda a ninguém”, asseverou.

A justificativa também está na “garantia de acesso à saúde, ao trabalho, ao lazer e à
educação, isso, claro, com a total facilidade de deslocamento”, acrescentou.

Outro problema que a Vereadora Mazéh do PT mostra são as “rampas íngrimes”. Segundo ela, é uma dificuldade que dói aos olhos e nas pernas, exigindo forças e habilidades para subir e descer – principalmente a rampa que liga a rua à calçada, pontuou.

A Edil ensina que “para melhorar a acessibilidade é elementar que a
rampa seja suave, de maneira que não se exija grande esforço de quem a usa”.

Mazéh, Vereadora exige mais trabalhos no tocante à acessibilidade – Foto Celso Antunes

Mazéh faz forte exigência ao ponto de se sentir indignada, tanto que enumera as principais falhas, que são: a) patamar e piso tátil indicando seu início e fim; b) superfície
regular, firme, estável, não trepidante e antiderrapante; c) calçadas sejam rebaixadas; d) piso tátil direcional; e) piso tátil indicativo de alerta.

1 COMENTÁRIO

  1. Não adianta fazer rampa de acesso a calçada se a própria calçada é impropria com postes impedindo a passagem de cadeirantes. Calçadas no centro da cidade não tem largura suficiente e muitas vezes com obstruções. Quem anda por ali muitas vezes tem de desviar pela rua para poder transitar, com risco de ser atropelado.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui