DEDICAÇÃO

0
2

 

COLETIVO

Sebastião de Oliveira Luz

e amigos fazem campo de

futebol do Caramujo

O primeiro chute oficial da Copa Caramujo na Festa da Pamonha foi dele: Sebastião de Oliveira Foto Celso Antunes
O primeiro chute oficial da Copa Caramujo na Festa da Pamonha foi dele: Sebastião de Oliveira
Foto Celso Antunes

Celso Antunes

Realmente o Distrito Santo Antônio do Caramujo tem muitas histórias. Por conta da realização da 8ª Festa da Pamonha o Jornal O Comunitário encontrou o cidadão Sebastião de Oliveira Luz Filho, 68 anos, ex-jogador de futebol, e acaba descobrindo que ele, junto aos seus amigos de “pelada” construíram o campo de futebol do Caramujo.

“O nosso campo era bem afastado daqui. Ficava lá pelas bandas da Cerâmica Dois Irmãos. Não era um campo bom, não tinha um gramado perfeito. Até que o senhor Antônio Gonzalez Vargas doou a área para fazer a escolinha da comunidade Caramujo. Como era uma área muito grande, tivemos uma conversa com o pessoal que gostava da bola e resolvemos fazer o campo, onde funcionava uma vaquejada, montaria em touros e cavalos nos finais de semana”, conta.

Entrevistado por Manga Rosa diz que se sente emocionado por conta de rever o campo em festa Foto Celso Antunes
Entrevistado por Manga Rosa diz que se sente emocionado por conta de rever o campo em festa
Foto Celso Antunes

Num entusiasmo extremamente acentuado, o ex-meia campista, disse que era goleador, presidente e técnico do time do Caramujo, tipo de quem cuida de tudo. “Até jogo de camiseta, calção e meião já lavei. Eu pagava caminhão para levar a turma pro jogo na Região, ainda, pagava alimentação, tudo na minha custa”, narra orgulhoso do feito.

Para mexer na área, segundo ele, teve um grande mutirão. “Convidei o Professor João Batista de Carvalho, no ano de 1985 para fazer o campo; resolvemos a partir da minha ideia, com apoio dos jogadores, da escola, enfim, de pessoal interessado no campo”.

Trio de Arbitragem Foto Celso Antunes
Trio de Arbitragem
Foto Celso Antunes

E, assim foi dado o pontapé inicial na construção do campo oficial do Caramujo. “No ano seguinte em 1986 entrei com pedido protocolado na Prefeitura de Cáceres, explicando tudo certinho”, enfatiza.

Sem ao menos tomar fôlego, o ex-jogador de futebol fala do campo de futebol como se fosse a sua primeira e maior conquista, ou seja, o saudosismo aflora, deixando-o emocionado. “Peguei um dinheiro e paguei um serviço de trator. Gradeei tudo, preparei a área, bem aplainada, tiramos as pedras, os tocos, enfim, limpamos tudo, deixando no jeito para plantar grama. Chamei os homens e plantamos, cuidamos, cortamos madeira, fizemos traves novas, comprei bolas, redes, uma alegria, uma festa que só, dava gosto de ver. O negócio ficou de um jeito que até fundamos um time na categoria sub 13, que durou 6 anos, depois fiz o time Grêmio Caramujo, depois Veteranos do Caramujo. Nisso tudo conquistamos 72 troféus, muitos títulos”, conta em voz trêmula, emocionada.

Solenidade de abertura da 1ª Copa Caramujo Foto Celso Antunes
Solenidade de abertura da 1ª Copa Caramujo
Foto Celso Antunes

Seo Sebastião mora há muito tempo em Caramujo e, parte desses anos dedicou ao esporte futebol. “Hoje fico feliz em ver essa molecada, jogando nesse campo que eu praticamente construi. Fico contente mesmo. O esporte corre nas minhas veias. Não perco nada do futebol. Sou São Paulino, estou dentro do esporte”, empolgado.

Time do Caramujo em busca do título Foto Celso Antunes
Time do Caramujo em busca do título
Foto Celso Antunes
A juventude aprende o que é caráter através do esporte Foto Celso Antunes
A juventude aprende o que é caráter através do esporte
Foto Celso Antunes

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui