ANÁLISE PROFUNDA…

0
32

 

FOGO CRUZADO

FACA DE DOIS GUMES

O Sindicato querendo a todo custo a derrubada do veto... Foto Celso Antunes

O Sindicato querendo a todo custo a derrubada do veto…
Foto Celso Antunes

Celso Antunes

 

Ainda repercute avassaladoramente a última Sessão na Câmara Legislativa de Cáceres. A pauta “derrubada do veto” em voga não aconteceu. A partir daí o assunto não parou ainda. Tem servidor que se pudesse matava vereadores. O assunto é tão delicado que até mesmo para noticiar carece muito cuidado para não ferir quem quer que seja.

Verdade, porque são opiniões. O jogo é dado por contra ataques. O Sindicato versus Prefeitura ao ponto de parar no Judiciário que tudo indica lavou as mãos, deixando o pepino para a Câmara descascar.

Segundo Fonte

A questão do aumento salarial foi votado favorável em dois turnos: duas sessões de modo unânime. O prefeito recorreu, enfim, o histórico diz que foi feito uma Emenda pela Câmara com base numa sentença da Quarta Vara Cível de Cáceres pela Juíza Doutora Josiane Ribeiro, determinando que a Prefeitura fizesse os cálculos das perdas, e, estudo de viabilidade econômica para o então pagamento de 22% [12%].

Assim, foi feito os cálculos das perdas, mas não do estudo – diante disso o Sindicato procurou a Câmara para que fosse sanada a omissão de não ter incluído as perdas no orçamento 2015.

Posterior a aprovação da Emenda por unanimidade em Sessão, foi proferida nova sentença pela própria Juíza Doutora Juíza modificando a decisão que determinava o cálculo, ou seja, o estudo, por entender que o Judiciário não poderia interferir nessa omissão do Executivo, então, diante dessa nova sentença a Emenda apresentada ficou sem respaldo legal, porque a matéria voltou a ficar sob júdice diante do recurso apresentado pelo Sindicato.

Então, enquanto não julgar o recurso do Sindicato contra a nova sentença da Juíza não tem respaldo legal para que se mantenha as Emendas na Lei Orçamentária.

Valdeníria favorável ao veto em defesa dos Servidores. Segundo ela, "depois o Sindicato vai me entender. Agora eles saem prejudicados. Pensamos numa reforma salarial efetiva."
Valdeníria favorável ao veto em defesa dos Servidores. Segundo ela, “depois o Sindicato vai me entender. Agora eles saem prejudicados. Pensamos numa reforma salarial efetiva.” Foto Celso Antunes

Outro detalhe que poderia acontecer e que o Sindicato esperava na Sessão anterior, dia 09, a derrubada do veto, caso tivesse maioria favorável de 2/3, 8 votos para que o veto fosse rejeitado e a matéria aprovada com as Emendas, isto é, o Prefeito teria que dar o aumento, ou melhor, o aumento estaria previsto no Orçamento, porém, o efetivo pagamento dependeria de Dotação Orçamentária, o que, na verdade, não dá em nada, tudo fica como antes.

Com isso os gumes vão cortando a tudo e a todos mais que espada de  ninja. O entendimento é para cada lado e quem sai totalmente ileso desse embate é o Prefeito, que, certamente dá suas gargalhadas. Que se dane o Sindicato. Que se dane os vereadores.

Finalmente, os feridos são muitos entre Sindicato e Vereadores, não só os que foram favoráveis ao veto, mas todos porque aprovaram por unanimidade por duas vezes e opiniões à parte, estando no mesmo barco, ficaram à deriva.

Somente o tempo vai dizer quem realmente está certo nesse jogo que reluta em continuar…

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui