Vereadora Mazéh Silva indica Curso de Defesa Pessoal Para Mulheres, aprovado por unanimidade na Câmara de Vereadores

0
4
Mulher executa "nocaute" - arquivo
Mulher executa “nocaute” – arquivo

[dropcap]A[/dropcap] Vereadora Mazéh Silva – Partido dos Trabalhadores teve indicação – CURSO DE DEFESA PESSOAL PARA MULHERES -, aprovada por unanimidade na 12ª Sessão Plenária da Câmara Municipal de Cáceres. As mulheres têm sido diariamente alvo de muitos assédios e abusos, sejam na rua, no transporte público ou em outros lugares. De acordo com relatório do Anuário Brasileiro de Segurança Pública do Fórum Brasileiro de Segurança Pública, em 2018 foram registrados mais de 50 mil casos de violência sexual no país e, destes, 81,8% foram mulheres. Outro dado chocante do estudo revela que a cada 11 minutos uma mulher é vítima de estupro no Brasil.

No âmbito municipal, o número de mulheres que sofreram violência do tipo lesão corporal e estupro no município de Cáceres, em 2018, segundo a Delegacia Especializada no Atendimento à Mulher (DEAM) foram 281 e de acordo com o Sistema de Informação de Agravos de Notificação (SINAN) foram 22 casos de violência. O tipo de violência contra as mulheres é classificado de maneira diferente pela DEAM e pelo SINAN. Segundo a DEAM, o tipo de violência mais sofrido pelas mulheres na cidade de Cáceres, no ano de 2018, foi lesão corporal (59,4%), seguido de lesão corporal e outras violências (23,8%) e estupro de vulnerável (13,9%). Segundo o SINAN, o tipo de violência mais sofrido pelas mulheres foi violência física (54,5%), seguido de física e psicológica (27,3%), física e sexual (9,1%) e psicológica e sexual (9,1%).

 

 

Vereadora Mazéh - Arquivo
Vereadora Mazéh – Arquivo

 

 

Durante as aulas de defesa pessoal as mulheres aprendem como agir em situações perigosas e como prestarem atenção nos sinais de possíveis ataques. A prática das lutas também ajuda na agilidade, força, reflexo, resistência, raciocínio rápido, melhora também a autoconfiança e autocontrole, as técnicas auxiliam também na possibilidade de fuga de uma situação de ameaça.

Além da construção de políticas públicas, em forma de leis, que sejam em defesa das mulheres é preciso criar mecanismos de empoderamento dessas mulheres.

“O curso de defesa pessoal para as mulheres vem ao encontro da necessidade de proteção em caso de urgência ou emergência, até mesmo no intuito de reconhecer um mal comportamento e evitá-lo através da utilização de técnicas de autodefesa”, pondera a vereadora Mazéh Silva.

.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui