ELEIÇÃO MESA DIRETORA

0
4

Vereador Félix quer anular

eleição de Marcinho Lacerda

Vereador Félix indignado...
Vereador Félix indignado…

RDnwes

O grupo liderado pelo vereador Félix Alvares (Pros) deve ingressar na Justiça para anular a sessão que elegeu Marcinho Lacerda (PMDB) para presidir a Câmara de Cáceres no biênio 2015/2016. Os parlamentares afirmam que o regimento interno não foi respeitado na noite de segunda (15).
 
Conforme Félix, a Mesa Diretora não instalou nova sessão para realização do processo eleitoral após a aprovação da Lei de Diretrizes Orçamentárias como prevê o regimento. O vereador também afirma que havia apenas seis parlamentares em plenário no momento da votação enquanto o quórum mínimo para validação da sessão é oito. Além disso, denuncia que o atual presidente Alvasir Alencar (PP) não observou a prerrogativa do “voto de minerva” e mesmo sem empate avalizou a chapa encabeçada por Marcinho.
 
“Como o regimento interno não foi observado, nos retiramos do plenário. Essa eleição não foi legítima. Por isso, decidimos recorrer à Justiça para anular a sessão e realizar novo processo eleitoral. A população cacerense nos cobra transparência”, disse Félix.
 
Além do vereador, também deixaram o plenário o vice Manoel Leiteiro (PSDB), o 1º secretário Edmilson Tavares (PMDB), o tesoureiro Cabo Pinheiro (PRTB) e o 2º secretário Salmo César (Pros). O grupo liderado por Félix recebeu apoio do prefeito Francis Maris (PMDB).
 
Na chapa de Marcinho Lacerda, a vereadora Valdeniria Dutra Ferreira (PSD) foi eleita vice-presidente; Edmilson Campos (PR), o Café no Bule, será o 1º secretário; Domingos dos Santos (PSC), que chegou a ser cogitado para a presidência, foi eleito para Tesouraria e Tarcísio Paulino (PSB), 2º secretário.

Marcinho Lacerda eleito Presidente 2015/2016
Marcinho Lacerda eleito Presidente 2015/2016

 
 O novo presidente da Câmara afirmou que nunca escondeu que em seu projeto político havia a pretensão de ser presidente do Legislativo, porém não esperava que fosse da forma que aconteceu. “Fui para a campanha de deputado estadual recentemente para ajudar minha coligação e não pude construir minha candidatura à presidência da Câmara, mas por uma questão de confiança e intervenção externa, acabei virando opção para o cargo e como político não podia deixar passar esta oportunidade”, justificou Marcinho.
 
 Apesar da chapa de Félix abandonar o plenário antes da votação, os vencedores alegam que a eleição foi consolidada já que todos responderam a chamada confirmando presença na sessão. A posse da nova Mesa Diretora está marcada para 5 de janeiro.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui