Euclides defende a conclusão de rodovias e aumento da malha ferroviária em MT

0
7

 

 

 

 

 

WhatsApp Image 2020-11-05 at 08.02.57

 

 

 

 

 

Candidato ao Senado fala sobre finalizar

pavimentação da BR-158 e implantação

de malhas ferroviárias para melhorar

escoamento da produção

 

 

 

 

[dropcap]N[/dropcap]ão é por acaso que Mato Grosso é considerado o celeiro do Brasil, em 2018, por exemplo, de acordo com informações divulgadas pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), além de ser o maior produtor nacional de grãos e fibras, Mato Grosso assumiu também a ponta do ranking de maior faturamento do agro no país. Segundo informações divulgadas pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) o estado é o maior produtor nacional de grãos, e gerou R$ 58,4 bilhões ao valor agrícola do país. Entre os 50 municípios com os maiores valores de produção agrícola, observou-se que 22 deles estavam no Mato Grosso.

Por outro lado, a infraestrutura e logística são insuficientes, e os produtores precisam enfrentar diariamente o desafio de superar a distância entre o produtor e os portos. A realidade não é das melhores, São rodovias sem pavimentação ou em péssimo estado, transporte caro por consequência disso, e portos ineficientes. Sem falar na pequena e quase inexistente malha ferroviária no Estado, obras que são extremamente necessárias para barateamento do frete e escoamento eficiente da produção.

O candidato ao Senado Euclides Ribeiro (Avante), afirma em sua campanha a luta pela conclusão de obras de infraestrutura que estão inacabadas e são fundamentais para o desenvolvimento do estado e do país. Ele cita a finalização da pavimentação da BR-158, importante rodovia que corta Mato Grosso e passa ainda pelos estados do Pará, Goiás, Mato Grosso do Sul, São Paulo, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul.

“A conclusão e conservação da BR-158, que ainda tem trechos de terra, é considerada importante fator de desenvolvimento econômico, interferindo nos custos no transporte, e no preço das mercadorias que chegam ao consumidor final. No Vale do Araguaia, que é um grande polo de desenvolvimento estadual, carece urgente da conclusão dessa obra, para destravar a pavimentação do trecho final vou trabalhar incansavelmente para isso, são 200 km que separam nosso Estado da concretização deste sonho, que vai proporcionar o transporte com segurança e o escoamento da produção”, explica.

A BR-158 é um importante corredor de escoamento da produção para municípios da região Nordeste de MT, e corta 12 cidades da região, entre elas, Barra do Garças, Confresa, Vila Rica, Canarana, Água Boa, Nova Xavantina e Porto Alegre do Norte.

“Outra importante obra de infraestrutura e logística que beneficiará a região do Araguaia é a conclusão da Contorno de Barra do Garças/Pontes para Goiás, interligando as rodovias BR-070, BR-158 e a rodovia estadual MT-100, dando acesso a duas pontes que já estão com as superestruturas de concreto concluídas. No Senado, Euclides pretende trabalhar forte para destravar essas obras.

Euclides também destaca a implantação de malhas ferroviárias, alternativa para baratear o frete e diminuir o tempo de viagens para escoar a produção. “O Senado é o ponto de partida para defender com urgência esse importante modal de transporte para o estado, atuaremos para apoiar e consolidar as parcerias público-privadas que viabilizarão as obras da de ferrovias como a Ferrogrão (até Lucas do Rio Verde), Ferrovia de Integração Centro-Oeste (Fico) e a Ferronorte (que passará por Cuiabá)”, defendeu.

A princípio, o ponto de partida da Ferrogrão será o município de Sinop, num dos pontos mais centrais do país e considerado local estratégico para a distribuição de grãos rumo aos portos brasileiros e ao mercado internacional. A região concentra os maiores municípios produtores de grãos do país, como Sorriso, Lucas do Rio Verde e Nova Mutum.

Recentemente o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) concedeu licença para as obras da Fico, entre os municípios de Mara Rosa (GO) e Água Boa (MT). De acordo com o Ministério da Infraestrutura, o trecho de 383 km vai interligar o Vale do Araguaia, região produtiva e em desenvolvimento do Mato Grosso, com a Ferrovia Norte-Sul, favorecendo o escoamento da safra aos portos de Santos (SP), de Itaqui (MA) e, no futuro, de Ilhéus, na Bahia.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui