FRONTEIRA DE DESENVOLVIMENTO

0
25

INVESTIMENTO

Cáceres: Nova fronteira

agrícola no sudoeste de MT

Cinco milhões de hectares de pastagens

podem ser aproveitados para agricultura

Carlos Fávaro diz: "Não temos dúvida nenhuma sobre as potencialidades gigantes da integração lavoura-pecuária e que essa região é a nova fronteira do desenvolvimento de Mato Grosso" Foto Celso Antunes
Carlos Fávaro diz: “Não temos dúvida nenhuma sobre as potencialidades gigantes da integração lavoura-pecuária e que essa região é a nova fronteira do desenvolvimento de Mato Grosso”
Foto Celso Antunes
 Ascom Famato
A nova fronteira do desenvolvimento de Mato Grosso é como pode ser considerada a região sudoeste do Estado, tendo a cidade de Cáceres como seu principal polo, sobretudo após a instalação do porto de Santo Antônio das Lendas, à margem do rio Paraguai. Pelo menos é essa a perspectiva extraída do II Encontro da Soja e do Milho na Região Sudoeste de Mato Grosso, realizado na cidade. O presidente do Sistema Famato/Senar, um dos palestrantes do evento, falou sobre a imprescindível medida de dar início à navegação pela hidrovia Paraguai-Paraná a partir de Cáceres para a expansão do desenvolvimento da região.
Valter Fidélis, ex-prefeito de Cáceres Foto Celso Antunes
Valter Fidélis, ex-prefeito de Cáceres
Foto Celso Antunes
 “Fiquei impressionado, visitando a lavoura, com a qualidade da soja e com a produtividade dela aqui em Cáceres. Esta é uma região próspera, além da pecuária historicamente praticada aqui, estão abertos os caminhos para a produção agrícola”, comentou Prado para o público do evento.
 
Prado demonstrou que, quando instalada a estação de transbordo no porto de Santo Antônio das Lendas, no rio Paraguai, fazendo a integração da região com a hidrovia e o Oceano Atlântico, as perspectivas de crescimento da produção passam dos atuais 16 milhões de toneladas de grãos/ano, num raio de 400 quilômetros, para 42 milhões de toneladas. Sem contar que o potencial de área de pastagem passível de conversão em agricultura pode chegar a mais 5 milhões de hectares.
  
Cacerenses ligados ao meio rural participam do evento... Foto Celso Antunes
Cacerenses ligados ao meio rural participam do evento…
Foto Celso Antunes
“A região tem um alto potencial produtivo e um grande potencial de escoamento. Temos todas as condições para que o progresso se instale de vez.  Quando se fala em expansão, não se trata apenas de Cáceres, mas atinge muitos municípios da região. A partir de Santo Antônio das Lendas, 400 quilômetros a dentro do Estado, onde hoje já se produz 16 milhões de grãos, existe uma perspectiva duas vezes e meia maior, que pode ser escoada pelo sudoeste do Estado, por meio da hidrovia do rio Paraguai”, destacou Prado.
 
A instalação do porto em Santo Antônio das Lendas, de onde podem sair barcaças com a produção, é considerada uma das mais viáveis saídas para os gargalos logísticos de Mato Grosso, inclusive com o retorno mais rápido. Conforme o Estudo Centro-Oeste Competitivo, produzido pela empresa Macrologística, o investimento feito para instalação do porto tem o retorno em um ano. “Cáceres está numa região estratégica de logística. O que falta agora é a determinação do Estado brasileiro para a finalização da rodovia BR-174 até o porto e a construção da estação propriamente dita”, acrescentou o presidente da Famato.
 
 O vice-governador de Mato Grosso, Carlos Fávaro, presente na abertura do evento, assegurou que o investimento em infraestrutura na região é um compromisso de governo. Despois de assegurar a finalização de rodovias do entorno de Cáceres e de garantir a viabilização do porto de Santo Antônio das Lendas, conclamou os membros da bancada federal por Mato Grosso a buscar emendas para concretizar a BR-174 até o porto.
Empresários casal Foto Celso Antunes
Empresários casal Abel e Vanderli se inteirando das propostas de desenvolvimento da Região Sudoeste
Foto Celso Antunes
“Não temos dúvida nenhuma sobre as potencialidades gigantes da integração lavoura-pecuária e que essa região é a nova fronteira do desenvolvimento de Mato Grosso. A integração, de forma sustentável, preservando o meio ambiente, cuidando do nosso Pantanal, a industrialização, a verticalização é um sonho antigo, mas estamos trabalhando desde o início do governo para instalação da ZPE (Zona de Processamento de Exportação) aqui em Cáceres”, disse Fávaro.
 
O evento contou com a participação de produtores rurais da região, alunos dos cursos de agronomia de duas instituições de Cáceres e membros de entidades representativas da cidade. O encontro foi realizado na Fazenda Ressaca, onde a integração da pecuária com a agricultura já acontece. Pela primeira vez, a unidade plantou pouco mais de mil hectares de soja, que estão sendo colhidos.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui