Vereadora Marilsi da Saúde tem Projeto de Lei aprovado: Arteterapia como tratamento para pessoas com Transtorno do Espectro Autista

0
230

ASSESSORIA

VEREADORA MARILSI DA SAÚDE – ASSESSORIA

Foi aprovado por unanimidade na Sessão Ordinária desta semana, no dia 16, um Projeto de Lei que institui em Cáceres a Arteterapia como acompanhamento terapêutico para a pessoa com transtorno do Espectro Autista.

De autoria da Vereadora Marilsi da Saúde, a proposição estabelece que a Prefeitura, através de seus órgãos competentes, deve adequar um espaço para o atendimento especializado que possibilite a realização de expressões artísticas espontâneas, autênticas e livres, para que a pessoa com Transtorno do Espectro Autista possa vivenciar suas emoções e sentimentos, estimulando a autoestima e a autoconfiança.

Em seu Projeto, Marilsi também determina que o Executivo deve designar ou contratar pessoa para coordenar a área de Arteterapia e realizar um cadastro de famílias com pessoas autistas em Cáceres a serem atendidas pela área responsável.

A Vereadora elabora que, ao lançar mão de uma variedade de meios artísticos e estratégias de intervenção para atender integralmente todas as pessoas com o transtorno, de forma individual ou em grupo, o Executivo acolherá as peculiaridades das pessoas autistas, oportunizando ações de autocontrole de comportamentos indesejáveis e desenvolvendo habilidades sociais, bem como auxiliando a família.

Em sequência, Marilsi explica um pouco mais sobre a Arteterapia: fundamentada na Psicologia, surgiu em 1906 com o psiquiatra Fritz Mohr, sendo aperfeiçoada por Sigmund Freud através de seu olhar psicanalítico. A corrente também passou a ser seguida por Carl Gustav Jung em 1920, trazendo a prática para o consultório e solidificando a terapia na linha da futura Psicologia Analítica.

Ainda nos anos 20, no Brasil se destacaram os Doutores Osório César e Nise da Silveira, com suas abordagens humanizadas. No ano de 1968, Margaret Naumburg intitula e solidifica esse tratamento com o nome atual – Arteterapia. Em 1972, a francesa Françoise Douto aplica-a como meio de comunicação com crianças, que não utilizavam a fala.

A Arteterapia passou a ser utilizada em grupos e famílias no século XXI, embasada nas ciências da Psicologia e da Arte, passando também a ser alvo de pesquisas neurocientíficas.

Leia o Projeto de Lei na íntegra:

https://sapl.caceres.mt.leg.br/media/sapl/public/materialegislativa/2022/4548/projeto_marilsi_pdf.pdf

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui