Perspectivas sobre a produtividade para os próximos 10 anos são debatido em Ciclo de Palestras da AEAGRO

0
80

A Associação dos Engenheiros Agrônomos da Grande Rondonópolis (AEAGRO) realizou na última terça-feira (16), o 5º Ciclo de Palestras com o tema “Manejo Integrado de Tecnologias”, o evento de quase 2 horas ocorreu de forma online pelo canal no YouTube AEAGRO Rondonópolis, com a participação de especialistas em pesquisas, economia e infraestrutura. 

ASSESSORIA

O presidente da AEAGRO, Marcelo Capellotto avaliou de forma positiva mais este ciclo de palestras. “A nossa 5ª edição do ciclo de palestras foi muito importante para a comunidade agrícola, onde trouxemos informações estratégicas de negócios, sobre o que vai acontecer em nosso Estado, com a perspectiva do que está sendo construído deve ocorrer até 2030, então teremos um aumento de produção, uma quantidade gigante de negócios e serviços que serão necessários aqui dentro do Mato Grosso até o final desta década”, frisou.

A abertura dos trabalhos foi com o superintendente do Instituto Mato-Grossense de Economia Agropecuária (IMEA-MT), Cleiton Gauer, que abordou o tema ‘Competitividade, Tendências e Perspectivas do Agronegócio em Mato Grosso a longo e médio prazo’.  “O estado já tem uma perspectiva de crescimento, então podemos observar que o produtor se desenvolve em uma cadeia produtiva que já tende a crescer ao longo do processo, assim o principal ponto é se preparar para esta estrutura, para onde o estado vai se desenvolver ou crescer, quais as infraestruturas são necessárias dentro da porteira e fora dela, para que o estado tenha um crescimento sustentável ao longo deste processo nos próximos 10 anos”, destacou.  

Na segunda palestra da noite, o diretor executivo do Movimento Pró Logística, Edeon Vaz falou sobre os modais de logística utilizados no Brasil e apontou o mais viável para ser desenvolvido em Mato Grosso”. “O principal modo de transporte que devemos incentivar e trabalhar para Mato Grosso é o ferroviário, pois é o mais importante dos modelos de logística, porque podemos colocá-lo onde nós necessitarmos, o que não ocorre com a hidrovia. Nós precisamos reduzir custos, e a forma de conseguirmos esta redução é com a implantação de ferrovias e a exploração de nossos rios com as hidrovias”, comentou.

Para encerrar o Ciclo de Palestras, o pesquisador Leandro Zancanaro trouxe à discussão o tema ‘Desenvolvimento do sistema produtivo para o aumento de produtividade nas lavouras de MT frente às novas perspectivas’. “O produtor rural e os profissionais deve investir no básico bem feito, e no que da residual, pois o que acontece neste ano de maior abundância o que corresponde são os bons sistemas produtivos, já em um ano mais difícil com em 22/23, o que vai dar mais estabilidade e segurança para que se possam tomar atitudes mais drásticas se forem necessárias são estes sistemas produtivos. Então o recado, sistemas produtivos bem feitos ao longo dos anos aumenta a produtividade, aumenta a eficiência do uso da água, aumenta a utilização dos insumos de fertilizantes e estabilidade de produção, e por fim melhorar a condição física e biológica do solo”, finalizou.  

O evento conta com o patrocínio da Associação dos Produtores de Sementes de Mato Grosso (APROSMAT), Sindicato dos Produtores Rurais de Rondonópolis, Conselho Regional de Engenharia e Agronomia de Mato Grosso (CREA-MT) e Caixa de Assistência dos Profissionais dos CREA’S (Mútua-MT), e o apoio do Instituto Mato-Grossense de Economia Agropecuária (IMEA), Instituto Mato-Grossense do Algodão (IMA MT) e Movimento Pró-Logística. CREA’S (Mútua-MT), e o apoio do Instituto Mato-Grossense de Economia Agropecuária (IMEA), Instituto Mato-Grossense do Algodão (IMA MT) e Movimento Pró-Logística.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui