CPI DA SAÚDE

0
43

INVESTIGAÇÃO

SISMA/MT declara apoio

a CPI da Saúde

de Doutor Leonardo

55555 Foto Assessoria
Oscarlino e sua Diretoria falam com Deputado Leonardo
Foto Assessoria

Assessoria

O Sindicato dos Servidores Públicos da Saúde e do Meio Ambiente de Mato Grosso (Sisma/MT) declarou apoio à Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Saúde, tida como medida capaz de evitar maior sucateamento da saúde no Estado. A CPI é uma proposta do deputado estadual, Doutor Leonardo Albuquerque (PDT/MT) e será instaurada na próxima semana.

 

O presidente da entidade, Oscarlino Alves e parte da diretoria do Sindicato realizaram  visita de cortesia ao gabinete do parlamentar, onde expuseram a importância de investigações no setor, uma vez que analisam a gestão das Organizações Sociais de Saúde (OSS) como um atraso à saúde pública.

 

A CPI da Saúde analisará os repasses de recursos do Estado aos hospitais e contratos com as Organizações Sociais de Saúde – OSs que atuam na área da saúde pública estadual, quantificando os valores pagos, os serviços prestados, bem como a justificativa pelos atrasos dos repasses dos recursos da área de saúde destinados aos municípios.

 

O Sindicato reclama a estrutura precária e prejudicial à saúde e a falta de insumos. Segundo o presidente da entidade esta situação gera cada vez mais trabalhadores doentes. “Os servidores querem o rompimento do contrato com as Organizações Sociais”, salienta ele.

 

“Nós não somos irresponsáveis e entendemos que a iniciativa privada até pode atuar, de maneira suplementar, na Saúde. Mas os interesses privados têm fins lucrativos e a população não pode ser prejudicada por esses interesses”, disse o presidente.

 

Alves sugeriu ao deputado a distinção clara na CPI entre gastos e resultados, em dois momentos: no período de expansão do SUS no estado e, depois, com as Organizações Sociais de Saúde gerenciando as unidades hospitalares.

 

Doutor Leonardo agradeceu o apoio e informou que já tem recebido denúncias e outros documentos que serão analisados na CPI.

 

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui