Trajetória da vida humana

0
67

Ensaios Inventariados

ceu e terra

O que pensar sobre a vida? Quanto já foi escrito, pensado sobre o que acontece conosco na curta trajetória da vida humana. Não quero aqui me envolver com as questões que atormentam as pessoas desde o inicio da civilização. De onde viemos? Para onde vamos? Quem somos? Etc. e tal. Não, isso não importa aqui. O que pretendo nesta escrita é dialogar comigo mesmo e colocar minhas idéias no papel. As coisas acontecem de forma muito rápida na vida. Voamos.

Sempre fui um sonhador. Passei a vida desejando ser feliz, não sei se fui feliz algum dia, mas sei que vivi muitos momentos felizes. Ah, isso eu sei! Momentos daqueles em que alcançamos um objetivo, ou vivenciamos a felicidade de alguém que amamos muito. O que mais me perturba são as coisas fúteis da vida que insistem em nos atormentar e que sempre damos valor, mesmo sem perceber que aquilo nos tomo muito do tempo precioso que temos.

Às vezes queremos ficar sozinhos para que possamos dar vazão aos nossos pensamentos, deixá-los voar livremente como pássaros, mas sempre somos interrompidos com a realidade cruel que nos cerca e que está patente aos nossos olhos. “Acorda guri”. É o que ouvimos. “Ou pensa que a vida é só ficar sonhando?”. Não! A vida não é um sonho, às vezes, e, para alguns, pra não dizer milhares, ela é um verdadeiro pesadelo.

Bem que as coisas poderiam ser melhores. Não questiono a noção de riqueza e pobreza. Isso é coisa pra cientista social. Existem ricos que seriam felizes se fossem pobres. Não conseguem nem dormir, não tem paz, apesar de ter dinheiro sobrando. Os pobres, esses já se acostumaram com a dureza da vida e, alguns conseguem até terem paz e momentos felizes. Isso foi o que aprendi… Mas, na verdade acho que ninguém se acostuma com a dureza da vida… Acho que fazem com que as pessoas devem se acostumar.

Para mim, s. Já percebeu que alguém feliz se torna egoísta? Sim. Às vezes você nota um casal de namorados vivendo seu momento de felicidade em um lugar qualquer. Deixe chegar alguém para conversar ou pedir

alguma coisa a eles. Com certeza irão ficar nervosos e dizer que a pessoa é chata porque os incomodaram no seu momento de felicidade. Segundo o meu pensamento isso se chama egoísmo. As pessoas querem aquele momento só pra si sem se preocupar com o que acontece com o resto do mundo. E assim a vida segue o seu rumo.

Os dias que vivemos, então, nos possibilitam visualizar uma humanidade cada vez mais centrada em si mesma. As pessoas estão cada vez mais próximas e mais distante uma da outra a cada dia que passa. Próximas devido ao rompimento das fronteiras que antes existiam. Hoje falamos com pessoas em qualquer canto do mundo a qualquer hora do dia ou da noite. No entanto, você percebe que as pessoas estão mais distantes e cada vez mais isoladas uma da outra. Você pode notar que, às vezes, nem conhece o vizinho que mora ao lado.

Para onde caminha a humanidade? O que os meus olhos conseguem visualizar? A humanidade está caminhando? Não é jogo de palavras, é que gostaríamos de contemplar um mundo belo e cheio de oportunidades. No entanto, o que vemos? O desemprego aumenta a cada dia. A era das máquinas tão problematizada pelos pensadores do século passado se confirma a cada nova invenção do homem moderno. Máquinas que produzem por dez, cinqüenta e, às vezes, muito mais. Engraçado, o próprio homem constrói para sua própria desgraça. Não pensamos no próximo. Não pensamos mesmo!

Tudo bem. Não somos culpados disso. Afinal, isso é uma herança que herdamos de nossos pais que herdaram dos pais deles que herdaram dos pais deles… E a vida segue o seu rumo. Será? Posso estar enganado, mas li alguma coisa a respeito em algum lugar que a população do planeta cresce na proporção de 1, 2, 4, 8, 16, 32, etc. enquanto que a produção de alimentos segue a proporção do 1, 2, 3, 4, 5, 6, etc. Se assim for, e pelo jeito é, as coisas tendem a chegar numa situação sem retorno.

Ah! Isso também não é culpa nossa. Segundo o cristianismo, não foi Deus que disse: crescei, multiplicai e enchei a terra? Pois bem, estamos enchendo. Vamos ver o que acontece daqui pra frente. Está certo que se a terra encher, temos outras possibilidades, como povoar a lua e, possivelmente, Marte. Além do mais, se esse negócio de super população realmente atingir o caos no mundo, não vai ser agora mesmo. Até lá eu já parti dessa pra uma melhor… Meus filhos e netos é que devem se preocupar.

Desmatar a Amazônia o equivalente a um campo de futebol por minuto não tem problema por que a Amazônia é imensa e precisamos de madeira e de terras para plantar

soja, cana-de-açúcar, algodão, etc. Além disso, esse papo de aquecimento do planeta deve ser conversa fiada de cientista e pesquisador que não tem outra coisa pra fazer. Não estou sentido calor nenhum.

Querido leitor, não se preocupe com minha escrita. Ela é sem pretensões. Escrevo porque gosto de escrever. Sinto-me bem diante das palavras. Oxalá, todos gostassem da escrita e da leitura; talvez não víssemos tanta mediocridade como a constatada diante do vestibular e de um texto sobre o livro de Machado de Assis. Quem sabe, as pessoas saberiam que o Machado ali descrito era um amante da leitura e da escrita e não uma ferramenta de cortar madeira.

Aqueles que quiserem questionar minhas palavras estejam à vontade. Como já disse alguém “Não devemos ter medo dos confrontos… Até os planetas se chocam e do caos nascem as estrelas.” O que quero mesmo é questionar esse modelo de capitalismo em que vivemos e que apoiamos, mesmo sem querer, e que transforma a maioria das pessoas, que se dizem cultas, elite intelectual, em massa de manobra. Não me admira muito que Hitler tenha conseguido o que conseguiu na Alemanha. Se fosse hoje, com certeza ele conseguiria, talvez com mais facilidade, o que conseguiu em 1933. Para ver o quanto evoluímos!

Deixo aqui registrado o que penso sobre a vida neste momento e para esse texto. Meu pensamento diz respeito àquilo que penso sobre determinado assunto sem ser dono da razão. Isso quer dizer que nada é muito importante, ou pode depender do ponto de vista daquele que vai ler e analisar o meu discurso. Pode ser que irão me criticar por dizer isso ou podem mesmo me condenar caso não entendam o que quis dizer na íntegra.

Isso pode acontecer por que estamos sujeitos a isso de fato por termos essa natureza; ou seja, julgamos erroneamente as coisas e às vezes não entendemos o que quiseram dizer realmente determinadas pessoas; e então achamos que era aquilo que havíamos imaginado.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui